# # # # #

10 coisas que você precisa saber antes de contratar um gerente de restaurante

16

ago

2017

Afinal, o que um bom gerente de restaurante tem que ter?

O tema “gerente de restaurante” pode fazer parte de duas situações comuns nesse mercado de gastronomia:

 

Situação nº 1:

Aqui temos a seguinte situação. Um restaurante pequeno em que o próprio dono atua como gerente. Só que a demanda está aumentando cada vez mais e o proprietário não consegue cuidar da administração financeira e planejamento de novos negócios junto com o gerenciamento. Ele precisa de um profissional dedicado.

 

Situação nº 2:

O cenário já muda para um estabelecimento que está a mais tempo no mercado, conta com um gerente de restaurante, mas não está vendo resultados. Esse profissional não se encaixa nas necessidades do local e o proprietário precisa fazer uma nova contratação. E essa não é a primeira vez que isso acontece. Mesmo que seja uma ação urgente, o proprietário tem receio  de erra mais uma vez e não sabe muito bem qual pode ser o diferencial na sua busca.

 

Nos dois casos a contratação de um gerente de restaurante parece ser a tarefa mais decisiva e por isso merece bastante atenção. Contratar esse profissional vai trazer mais agilidade no dia a dia do negócio.

Além disso, o gerente de restaurante contribui com:

  • Organização do ambiente
  • Motivação da equipe
  • Controle de produção
  • Análise de resultados

Para fazer uma contratação certeira, o Vitto blog criou uma lista com as melhores e as piores atitudes de um gerente de restaurante para você levar em consideração na hora da entrevista.

Sinal verde

– Já fez de tudo e mais um pouco

O gerente de restaurante precisa ter entender o seu cargo e também o dos demais colaboradores. Se não, como ele vai poder perceber o que vai bem, ou não?

Busque saber quais foram as experiências que vieram antes do cargo de gerência. Se ele já foi recepcionista, garçom, ou até já passou pela cozinha, ele vai ser bem versátil.

 

– Tem espírito de liderança

Quando o gerente abraça o conceito do negócio e compreende o que precisa ser feito, ele tem chances de liderar a equipe para o rumo certo.

O profissional que se torna o link entre a necessidade da empresa e o colaborador, consegue adaptar treinamentos, media conflitos com tranquilidade e reconhece as habilidades de cada membro do time – sabendo usar elas muito bem também – é um bom líder.

 

– É leal

A rotina de um restaurante não é nada fácil. O gerente chega antes de todos e vai embora depois. Ele, ou ela, tem uma grande responsabilidade, que é operar um empreendimento.

Você sabe o que isso significa, não? Por isso é muito importante ter alguém leal como braço direito, que pense em construir uma carreira sólida, em conquistar confiança, e que seja transparente.

 

– Tem boas referências

Se as referências anteriores forem boas, claro que isso já é boa parte de contratação. O bom gerente se sente confortável na posição de autoridade, principalmente, por já ter praticado essa tarefa antes.

Ele sabe como as coisas funcionam, já apagou alguns “incêndios” e superou desafios que agora já são bem mais fáceis de lidar para ele.

Se as referências confirmam essas atitudes, isso é um ponto positivo.

 

– Trata o cliente muito bem

Houve algum problema? O gerente vai ficar muito feliz em ajudar e resolver, se for preciso. Ele é a representação viva do restaurante. Tem que ser:

  • Simpático
  • Prestativo
  • Agilizado

O bom atendimento é um dos motivos que fazem os clientes voltarem sempre.

Sinal amarelo

– Não se comunica bem

Tem que ser claro, objetivo e ter certeza de que todo mundo está entendendo a mensagem.

Cada um tem sua forma de se expressar e por isso a comunicação do gerente tem que ser universal quando necessário, mas também se ajustar a melhor linguagem possível quando surgir uma situação pontual.

 

– Gerencia sem aparecer muito

Seja por timidez, ou insegurança, não mostrar que está em ação e se envolver no trabalho da equipe é muito ruim para um gerente de restaurante. Ficar no escritório tempo demais só vai distanciar esse profissional do time de trabalho.

 

– Acha que só ele sabe resolver as coisas

Ser pró-ativo é muito bom. Mas achar que é a única pessoa responsável no negócio e abraçar todas as atividades é algo negativo.

Cada colaborador tem seu papel dentro de uma organização. Por mais que o gerente tenha grande responsabilidade, isso não quer dizer só ele possa resolver problemas, por exemplo. Tem que descentralizar as tarefas e saber dividir entre cada equipe.

 

– Não reconhece os pontos positivos

O garçom se saiu bem quando um cliente estava irritado? A equipe da cozinha é impecável na higiene? Tem que reconhecer.

Se o gerente de restaurante só dá ordens e não traz um feedback para o colaborador, principalmente quando for positivo, a atuação dele não é construtiva, ou seja, ele não ajuda no crescimento profissional  da pessoa.

Sinal vermelho

Tem uma atitude que sozinha já é motivo para eliminar um candidato.

A falta de respeito com o time.

Essa é uma característica que não só colocar todo trabalho a perder, como também tem um impacto negativo devastador, porque se espalha por toda equipe do restaurante.

O gerente que não controla a impulsividade e age de forma agressiva, com superioridade, não ganha a confiança do time e ainda pode ser o maior fator de desmotivação dos colaboradores.

Mesmo com tantas opções de treinamento e apoio de Recursos Humanos para dar suporte nesses casos, ainda existem profissionais assim no mercado.

Erros acontecem toda hora e tem que ter paciência e tolerância para saber lidar com isso.

Com essas referências fica mais fácil pontuar quais qualidades do gerente de restaurante mais podem beneficiar seu negócio.

Se você quiser saber mais sobre gestão navegue pelo Vitto Blog e confira as dicas dos nossos especialistas!