# # # # #

Qual é o destino da sua Gestão Operacional?

24

nov

2016

gestao operacional restaurante delivery processos fluxo controle organização

Confira um roteiro completo com todos os pontos importantes da Gestão Operacional

Está na hora de colocar ordem na casa? Então vamos te ajudar!

É muito comum ver gestores com a agenda corrida entre tantas contas e funções que se deve manter sob controle. Estoque, fechamento de caixa, cadastro de clientes… são tantas atividades que sem uma boa Gestão Operacional fica praticamente impossível ter tudo sempre organizado e analisar resultados, possíveis falhas e soluções.

Para mostrar como é fundamental investir nesse processo e para descomplicar sua vida, nos próximos minutos você acompanhará um roteiro que o guiará para o sucesso, com paradas estratégicas para que sua Gestão Operacional siga pelo caminho certo.

 

Comece pelo caixa

A saúde financeira da empresa vai sempre dar movimento aos negócios.

Para que isso ocorra, é importante saber todas as informações que envolvem orçamento, comissões, pagamentos e renda.

Faça regularmente um inventário e detalhe todas as suas despesas e receitas, tanto as atuais, quanto as futuras, além de especificar quais são seus planos de investimento.

Você provavelmente tem uma meta para alcançar ao final do seu Ciclo Operacional (que é o período de um ano, normalmente) e revisar todas essas questões financeiras vai ajudá-lo a se ajustar a este objetivo.

 

1ª parada: o que listar

Para que esse levantamento todo seja mais eficiente, fique atento ao fechamento do caixa diariamente para confirmar qual foi sua receita. Lembre-se de controlar também seu estoque, as comissões de seus funcionários, gastos com novas contratações, despesas de rotina, etc.

 

Vire em direção a organização interna

Revisada a questão financeira, o ideal é voltar os olhos para o próprio negócio e entender todos os processos. Eles estão organizados?

O cardápio é um dos primeiros itens que merecem atenção. Ele deve estar atualizado em todos os formatos: online e físico. Esse item é praticamente um cartão de visitas do restaurante para os clientes.

Já a cozinha deve funcionar em perfeita harmonia e o controle do que está em produção e em expedição é fundamental.

 

2ª parada: controle de clientes

Se seu empreendimento conta com ferramentas online, essa é uma atividade ainda mais valiosa, pois o cadastro de consumidores é facilitado e assim você pode ter mais informações para conhecê-los melhor. Inclusive, ter mais detalhes sobre o cliente influencia o próximo item desse roteiro.

 

Siga pelo atendimento

Toda equipe está familiarizada com o sistema de atendimento? Atualmente há restaurantes que optam até mesmo por cardápios acessados pelo smartphone do próprio cliente, e toda equipe deve saber passar as orientações corretas.

Da mesma forma ocorre com o Delivery, que entrou no cenário online e conta com processos rápidos e práticos de pedidos, mas que nem por isso deixam de exigir um treinamento de funcionários que vão receber as informações e passá-las adiante.

 

3ª parada: invista em tecnologia

Contar com novas tecnologias, como as descritas acima, evita erros nas solicitações e possibilita maior controle quanto ao tempo de entrega, por exemplo. Esses também são fatores que influenciam na questão do atendimento e podem trazer grandes avanços para sua Gestão Operacional.

 

Atalho: aposte na Ficha Técnica

Há uma forma de otimizar todos os processos de Gestão Operacional. Vamos chamá-lo de Ficha Técnica. Isso mesmo. Talvez você não adote essa prática em seu estabelecimento porque parece ser algo trabalhoso e até chato de se fazer. Mas o conselho aqui é repensar essa ideia.

A Ficha traz todas as informações importantes dos pratos servidos no cardápio. Com ela é possível elencar três categorias:

  • Os ingredientes necessários para determinado prato
  • Os custos envolvidos
  • A receita em si, com suas devidas porções

E o que isso ajuda na Gestão Operacional?

Bem, ter o controle dos ingredientes necessários já impacta no controle de estoque; saber sobre o investimento em um prato gera uma expectativa de gastos que entram no controle financeiro; e ao padronizar a receita fica mais fácil reproduzir sempre a apresentação de um mesmo prato, o que geralmente agrada os clientes e soma pontos no atendimento.

 

4ª parada antes de chegar ao destino final

Esse ‘atalho’ do nosso roteiro também ajuda a calcular o preço de cada bebida e refeição oferecida.

 

Comemore na chegada

Depois de passar por todos esses pontos da Gestão Operacional é importante reunir todas as informações em relatórios mensais e anuais, e aproveitar todas as conclusões das análises para reconhecer falhas, aplicar melhorias e comemorar ações de sucesso.

E então, deu para ter uma visão mais clara sobre a Gestão Operacional? Ela está presente em todas as áreas de um restaurante e por isso é muito importante!

 

Se quiser saber mais sobre esse assunto deixe um comentário logo abaixo e conte quais informações gostaria de ter. Vamos ficar felizes em compartilhar mais dicas com vocês!

 

Referências Bibliográficas

DORTAS, Paulo. Seis dicas para um fluxo de caixa eficaz. Sebrae

Ficha Técnica dá trabalho, mas ajuda a evitar prejuízos. Gestão de Restaurantes, 2007

 

Gostou? Comente