# # # # #

História do Delivery: uma prática antiga com novo visual

13

out

2016

historia do delivery no mundo entrega de comida em casa bicicleta

Entrega de comida em casa é algo que já ocorre há séculos, mas com o tempo o Delivery ganhou diferentes propósitos e novos modelos, conheça a História do Delivery

A história do Delivery é antiga, não é de hoje que a entrega de comida faz parte do dia a dia das pessoas. Há muito tempo que os consumidores têm como opção receber refeições em casa.

E para entender como o conceito de Delivery se popularizou, vamos voltar no tempo!

1889: Itália

Na Roma antiga já havia vestígios de entregas de comida. Muitos trabalhadores não tinham cozinha em casa e podiam buscar uma refeição pronta em algum dos pontos chamados thermopolium.

Ainda não havia a entrega em si, porém já era um começo. Inclusive, o fato de a pizza estar entre as campeãs do Delivery talvez não seja mera coincidência.

Isso porque a primeira delas foi entregue em Nápoles no ano de 1889, para ninguém menos do que o casal real, rei Umberto e rainha Margherita.

Uma tamanha responsabilidade para o pizzaiolo Raffaele Esposito e sua receita que levava tomate, mussarela e manjericão. Alguém reconhece essa combinação? Foram os primeiros passos da História do Delivery no mundo.

1890: Índia

Se no Brasil temos os motoboys, na Índia temos os dabbawalas. Desde o século 19 esses rapazes entregam comida caseira no horário do almoço para trabalhadores na cidade de Mumbai.

Segundo o empreendedor e palestrante Dr. Pawan Agrawal, todos os dias são feitas 400 mil entregas.

Os dabbawalas carregam pelos trens, ou no equilíbrio de uma bicicleta, uma espécie de ‘marmita’, que é retirada na casa do profissional e no final da tarde é devolvida no mesmo local.

1ª e 2ª Guerra Mundial e a ração militar

Em meio a um período doloroso da história levar comida para os soldados em região de combate, ou até mesmo para civis que tiveram as casas destruídas foi uma importante solução.

Um fato interessante para a história do Delivery é que na 1ª Guerra, entre os anos 1914 e 1918, foi a primeira vez que a chamada ração militar foi entregue em latas com comida aquecida e água fresca aos soldados americanos nas trincheiras.

Já na 2ª Guerra, entre 1939 e 1945, as rações pré-cozidas foram destaque e cada tipo de alimentação (café da manhã, almoço, jantar) era identificado com uma letra diferente na embalagem.

A categoria C, por exemplo, continha desde pão e bife grelhado, até café e ensopado de tomates.

A evolução da entrega da ração militar acompanhou o ritmo da evolução do Delivery para civis e atualmente os soldados têm 24 tipos de menu, incluindo um vegetariano.

O mesmo ocorre com o fato de que as opções de hoje vão além da pizza e do sanduíche.

1950: Estados Unidos

Os pedidos de comida no \modelo parecido com o atual, por meio de ligações, começaram mesmo a surgir nos anos 1950 por motivos como:

  • Avanço da tecnologia em termos de embalagem
  • Surgimento da televisão

A pizza foi um dos primeiros pratos mais entregues nessa época. Em 1952, a pizzaria pioneira no Delivery, Casa D’Amore, em Los Angeles, ofereceu frete gratuito para pedidos acima de US$2,50.

Essa tática hoje é bem explorada por estabelecimentos que oferecem o Delivery Online.

1980: o Delivery vira moda no Brasil

Registros da revista Veja São Paulo indicam que a década de 80 foi um marco para o Delivery no país.

A pizza (sim, ela de novo!) ganhou destaque na capital paulista. Seus entregadores utilizavam bicicletas, ou mobilete.

O preço era em média de 50 cruzados e os pedidos eram feitos somente por telefone, os famosos ‘disk pizza’.

Naquela época, São Paulo contava com aproximadamente 200 empreendimentos que apostavam nesse modelo. Hoje há mais de 4500 pizzarias que sustentam a famosa tradição paulistana de pedir uma pizza para o jantar.

Século 21

Apesar dessa longa caminhada, a prática diária do Delivery só se consolidou na maioria dos países recentemente e está cada vez mais acessível graças à tecnologia.

De acordo com a revista Time, atualmente, a cada dia, 6% de todo os Estados Unidos se alimenta de uma refeição Delivery, seja por conta de um clique em um site, por meio de um App, ou ainda pelo telefone.

Segundo o portal brasiliense Metrópoles, nesse ano houve um crescimento de 52% nos pedidos de comida por Delivery no Distrito Federal. Em Belo Horizonte o aumento  foi de 50%. Resultados de um mercado que no Brasil faturou R$ 9,5 bilhões em 2015, de acordo com a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel).

Já no Reino Unido, para se ter uma ideia, só no mês de março de 2016 mais de oito milhões de britânicos acessaram ao menos um dos três maiores serviços de delivery de comida online via computador, tablet, ou smartphone, de acordo com a pesquisa da ComScore

Uma pesquisa divulgada no jornal O Estado de S. Paulo revelou que, no Brasil, 38% dos pedidos são feitos online.

A internet se mostrou uma grande aliada e transformou o que era uma questão de necessidade em um hábito, além de agora ser uma referência em praticidade e comodidade no mundo atual.

Gostou de saber um pouco mais sobre a história do Delivery? Então deixe um comentário logo abaixo.

 

Referências Bibliográficas

ALVES,Pedro. Em seis meses, pedidos de comida por delivery crescem 52% no DF. Metrópoles, 2016

BUTLER, Stephanie. The Take on Takeout. Site do The History Channel, 2014

CABRAL, Danilo Cezar. Como eram as rações dos soldados em diferentes guerras?. Mundo Estranho, 2013

Crise impulsiona alta de 50% no delivery de alimentos. O Tempo, 2016

Delivery Through The Decades. The Skinny, 2016

REINA, Analice Sauerbronn. A alimentação das tropas durante a guerra

RODRIGUES, Márcio. Pesquisa indica que 56% das pessoas fazem pedidos semanais via delivery. O Estado de S. Paulo, 2016

RUDE, Emelyn. What Take-Out Food Can Teach You About American History. Time, 2016

TEDxSSN – Dr. Pawan Agrawal – Mumbai Dabbawalas. YouTube TedxTalks, 2011

XAVIER, Mauricio. A moda de pedir pizza pelo telefone. Veja São Paulo, 2015

ZAIN, Ana Laura. How Food Delivery Services Have Kept Customers Reaching For The Phone. ComScore, 2016

Gostou? Comente